9.3.04

Alegrias de trabalhar em casa, nº 18.875

Pendurada no telefone, aguardando para falar com algum enólogo fresco.

O silêncio sepulcral é rompido por um retumbante:

"Filha, mamãe descongelou feijão pra você. Tá gostoso!"

Sem possibilidade de me defender do mico falando, taquei a primeira coisa que vi pela frente: um sutiã. Isso deve ter servido como "cala a booooooooooca pelo amor de deus!".

Nessas horas tenho vontade de voltar a pegar ônibus, trãnsito e trem para trabalhar numa Berrini da vida.