8.3.04

Arse-o-nist

Que merda. Vigésimosétimo aproxima-se numa velocidade nojenta. Eu achei que ter 27 anos e um armário que mais parecia uma estufa (com vida lá dentro, imagino que uma centena de fungos) não era certo. Então eu desmontei tudo e joguei um monte de coisa fora. Queria chegar na nova idade mais levinha. Travelling light. Memória deve ser guardada na cabeça, certo? E com tempo de validade, já que eu esqueço um monte de coisas sem nem mesmo ter chegado à meia-idade.

Daí eu peguei minha caixa de pandora, um depósito para um antigo romance epistolar, e resolvi queimar tudo numa espécie de pira. Um ritual bem dramático, porque eu a-do-ro um drama. Eu já tinha chamuscado algumas coisinhas desse romance ridículo, mas eram bem poucas. Tipo foto. Já botou uma foto pra queimar? É delirante. Quase vodu. Agora eu tinha um bolo de cartas escritas em milnovecentoseEUeravirgem (não minha avó).

Eu ensaiava esse desvario piromaníaco há semanas, mas não conseguia tacar o fósforo. Não pela baboseira garatujada naquelas cartinhas. Eu morri de dar risada relendo. Mas é porque eu queimaria eu mesma junto ali. Uma parte muito ingênua minha, muito pura, que já andava meio terminal.

(Pura é diferente de trouxa, oquei? Porque trouxa nós obviamente continuamos a ser)

Então eu finalmente dei o golpe de misericórdia.

Mas espera... alguém tinha que ter me avisado o trabalho maldito que aquilo daria. O fumacê descontrolado. Não que eu me importe com a vizinhança. Francamente, eu poderia ter cabeças em estacas penduradas na minha janela só pelo prazer de incomodá-los. O problema é que eu comecei a ficar intoxicada com aquela queimação, tossindo e chorando. E imundando meu quintal.

Então, depois de ver empiricamente que não conseguiria dar cabo daquela cremação toda, simplesmente inundei o balde de água e transformei tudo numa sopa de cartas queimadas. Nojento. Joguei no lixo. Não no reciclável, óbvio. Pode dar azar, nunca se sabe.

Cartas são ultra-românticas e pessoais, não são? Mas e-mails são bem mais higiênicos. E fotos digitais também. Basta só deletar e pronto. Nenhuma sujeira pra ser limpa depois. Ou quase.