22.8.04

Sempre achei o famoso ditado yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay uma coisa castañedica-riponga com cheiro de patchouli nojento. Mas ultimamente, hein...? CARALHO. Tifudê. Estou fazendo o possível para acreditar que tudo isso não passa daquelas clássicas agruras e desdobramentos pré-happy-ending-corta-letreiros-legendas-videolar.

Se não for, jurei me tornar uma psicopata, sociopata ou adotar qualquer outra pathos a meu bel-prazer.

Enquanto isso, alguém quer me dar uma boa receita de banho de descarrego?

17.8.04

Gente, Olimpíadas! Não tenho acompanhado tão freneticamente como a ermã, que senta a bunda e fuma um maço de cigarros, totalmente entretida, até com tênis de mesa e bilhar.

Posso dizer que assisti com afinco pelo menos a um esporte: saltos ornamentais. Alô? meu esporte favorito do momento! Extremamente bem servido de tanques e sungas (que apesar de odiar, acho que superorna na ocasião). O que era aquilo quando aquela bofaiada levantava os bracinhos e aqueles músculos do lado do torso pulavam, gritando? Delírio. Tão bom quanto judô masculino, nada mais que dois machos se atracando e puxando um a roupa do outro. Chega a ser libidinoso.

E hoje, hem? Eu e ermã topamos com Mario, aquele que já saiu do armário, mas que ainda assim promove revoluções hormonais na Sampaio-Planta (samampaia?)e na Sampaio-Lesbo (sapaio!). Mario é do tipo impossível comer um só, o grande motivo de eu me jogar em almôndegas pré-históricas na Lôca. Daí que não aguentamos nem mesmo em público e tivemos que tirar uma mini-casca, só pra sair depois comentando como ele era... ahhhhh. E ainda me deu 20 libras. Sou paga pra acuendar? Hahaa! A-do-ro!

14.8.04

Que coisa mais interessante (pra mim, pelo menos). Aprendi na base da surra a calar meu bico e aprendi tão bem que pareço ser a pessoa mais monotemática da face da Terra. É tão bom contrariar a si mesma. Um verdadeiro esporte esquizofrênico, sadomasoquista e de total domínio shaolin. Parece uma versão elaborada de um antigo truquinho que eu me auto-aplicava quando escondia grandes quantias na minha própria carteira, ciente que em breve esqueceria do dinheiro, e em algum momento num futuro distante, desesperada atrás de grana... bingo, veria que estava 'rica'! Não entendeu? É inexplicável, mas de um prazer incrível.

Ontem fiz uma paella a doze mãos. Parecia mais uma reunião de bruxas em volta de um caldeirão. Uma briga desgraçada pra ver quem ia tacar o que na panela. Palpites demais. Colheres que pareciam espadas. Mas ficou boa, muito boa. Não sobrou nada e isso não foi culpa de seis bocas.

Hoje acho que já estou perdendo as minhas digitais. Sério mesmo. As pontas dos dedos estão vermelhas de tanto carregar coisa quente. Até o fim do ano espero desenvolver uma casca grossa nas palmas das mãos... se bem que isso não seria o ideal (em momentos de negação tenho usado cremes de mão), mas é difícil ser maricas numa cozinha cheia de testosterona... ou quase.

10.8.04

> Ouvindo obssessivamente (com uma cabeça mareada de vinho californiano feito na Argentina? e boca toda borrada):

* Le Temps de L'Amour, em versão fofa de The Fur Ones.
* Suspended From Class, Camera Obscura.

*ai*. sem movimentos bruscos por favor.

4.8.04

E Anthony Bourdain tem arrancado risadas histéricas de mim:

"Vegetarians, and their Hezbollah-like splinter-faction, the vegans, are a persistant irritant to any chef worth a damn. To me, life without veal stock, pork fat, sausage, organ meat, demi-glace, or even stinky cheese is a life not worth living. Vegetarians are the enemy of everything good and decent in the human spirit, an affront to all I stand for, the pure enjoyment of food. The body, these waterheads imagine, is a temple that should not be polluted by animal protein. It's healthier, they insist, though every vegetarian waiter I've worked with is brought down by any rumour of a cold. Oh, I'll accomodate them, I'll rummage around for something to feed them, for a 'vegetarian plate', if called on to do so. Fourteen dollars for a few slices of grilled eggplant and zucchini suits my food cost fine..."

E mais pra frente ele ainda diz que o corpo não é um "templo" (seus burros!), mas um "parque de diversões", DUH! hahah

Outra coisa que tenho visto com muita freqüência e que me incomoda horrores: porque um ser humano em dieta vai a um restaurante, ô puta que o pariu? Porque não fica em casa e come só a sua ração e pára de fazer pedidos esdrúxulos e descaracterizações criminosas de pratos porque não pode comer proteína ou não pode comer carboidrato ou não pode comer meu cu? Porque pedir uma sopa xexelenta enquanto seus amigos se esbaldam em gorduras? Eu não entendo. Eu não admito.

3.8.04

Uma bosta? Bom? Como saberei? Alguma bichafina faria a gentileza? 26 Euro (é no singular antes de mais nada, retardada), na Colette.

Nouvelle Vague CD

Nouvelle Vague, New Wave, Bossa Nova: three expressions in three languages which symbolise an artistic revolution.

French producers Marc Collin and Olivier Libaux revive The Clash, PIL, The Cure, Joy division and other classic punk melodies in the genre of bossa nova blended with pop, mixed with the voices of eight young singers including the exceptionally-talented, Camille. The result: timeless, universal and ultra-sensual... bringing punk to the beach in full bossa nova style.

NOUVELLE VAGUE - Track List
01 - love will tear us apart (joy division)
02 - just can't get enough (depeche mode)
03 - in a manner of speaking (tuxedomoon)
04 - guns of brixton (the clash)
05 - this is not a love song (P.I.L.)
06 - too drunk to fuck (dead kennedys)
07 - marian (sisters of mercy)
08 - making plans for nigel (XTC)
09 - a forest (the cure)
10 - i melt with you (modern english)
11 - teenage kicks (undertones)
12 - psyche (killing joke)
13 - friday night saturday morning (the specials)

2.8.04

Credo...

(e o pior é que eu leio tudo)

Se você é um bitolado chatindie e adora grunge, certamente discordará desde texto. Eu não sou e pronto. Eu sou só uma orfã do britpop, que além de ter nascido do lado errado do Atlântico, nasceu do lado do Equador. Então eu não preciso de argumentos muito certinhos para elevar às alturas o que eu gosto e não sinto o mínimo remorso em gongar o que eu odeio. Também não preciso de razões muito sólidas para manifestar meu desagrado. E pronto. Eu não gostei de grunge e nunca fui afeita aos EUA.

An american looks at britpop with envy

E chega porque o nocaute em pílulas já está fazendo efeito e eu estou mooole.