22.8.04

Sempre achei o famoso ditado yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay uma coisa castañedica-riponga com cheiro de patchouli nojento. Mas ultimamente, hein...? CARALHO. Tifudê. Estou fazendo o possível para acreditar que tudo isso não passa daquelas clássicas agruras e desdobramentos pré-happy-ending-corta-letreiros-legendas-videolar.

Se não for, jurei me tornar uma psicopata, sociopata ou adotar qualquer outra pathos a meu bel-prazer.

Enquanto isso, alguém quer me dar uma boa receita de banho de descarrego?