24.9.04

Estamos quase lá, quase lá. Ainda com um pouco de preguicite, frescurite, mas as estações de rádio cerebrais estão momentâneamente em volume baixo. Então espere aí, se é que você se importa, porque eu mesma me mandaria tomar no cu. Mas você não sou eu, então eu não sei.

Ontem aconteceu algo muito estranhinho. Laércio me deixou em casa depois de cerveja preta e um ponta relaxante. Eu subi um instantinho pra buscar uma coisa que queria entregar pra ele e deixei a porta bem escancarada. Isso, na tioria, não é um problema às duas da manha, porque a minha porta não dá pra rua.

Mas quando eu botei meus pés na casa, depois de ter me despedido, topei com um gato na minha casa. Um gato que mais parecia um tigrinho. E com um sininho no pescoço. Pequeno e lindo. Mas me deu medo. Eu dei um minigrito. Depois eu quis pegar pra mim. E então ele saiu gloriosamente pela mesma porta que entrou.