4.10.04

Uhn.

escapadinha nas terras altas (patrocínio Annix Inc. + empréstimo do Banco Itaú)

Então no dia 24 de agosto eu varei a noite tentando encher a cara com meus amigos e fazer a mala ao mesmo tempo. Eu achei que dormiria no avião, mas me arrependi seriamente quando notei que a doce Annix havia me encaixado na classe executiva.

Foie Gras e diversas taças de vinho depois, eu dormia profundamente enquanto era servida alguma sobremesa-boa-demais-para-avião. Tarde demais. Quando acordei, entre dois cavalheiros, os comissários atenciosíssimos já tinham retirado o doce de circulação e eu não quis interromper o processo para não dar tão na cara que eu era pobre e estava ali por puro golpe de sorte.

Pousada no Charles de Gaulle, eu achei que teria alguma assistência francófila de uma conhecida que se encontrava também na classe executiva porque era rabuda. Ledo engano. Ela logo me abandonou e eu não conseguia lembrar como era mesmo "isqueiro" em francês. Mais do que tudo, eu precisava chegar em outro terminal e não tinha idéia de como fazê-lo.

Tomei um café antes. Sorte que o garçom era fluente na língua do bardo e pensou que eu era inglesa... ("não, moço... brasileira") "Aaaah, Brasil!!". Unh. Alívio. Alívio também saber que eles aceitavam libras.

Então eu achei o terminal, depois de pegar um ônibus errado. Sorte que o motorista falava inglês. Eu ainda não estava com a peroba em mãos pra arriscar meu pseudo-francês. Dali eu voei pra Londres. De Easyjet. Bem rápido.

Aeroporto de Luton. Várias horas de espera para o próximo vôo. Só num cantinho deixavam os fumantes em paz. Eu achei melhor não tomar muito álcool. Burger King! Não, melhor não. Achei melhor comprar fósforos. Tomar mais café. Chupar balas. Murray Mints. Haha.