29.11.04

tranqueirinhas pra tranqueirona. eu comprei FINALMENTE uma lancheirinha de ferro, mini. daquele joguinho de operação. sabe, o dos ossinhos sortidos? achei que ornava com meu lado hipocondríaco e com meu lado infantilóide. E também uma malinha da JAL, já que eu não consegui ainda uma da PAN AM. Posso dizer que sou uma criança menos frustrada agora.

Até que achei esse paraíso. E nele buttons do donnie darko!!! superpiada interna pra quem AMA o filme como eu. haha Imagina, andar por aí com um trocinho escrito "CHUT UP", "GO SUCK A FUCK", "FEAR ------------ LOVE" e "SPARKLE MOTION".

Melhor que isso só mesmo a comunidade Sparkle Motion no Orkut. É claro que eu nunca posto lá, mas é um alívio encontrar pessoas que foram tocadas pela frase "sometimes I doubt your commitment to Sparkle Motion!". Tão veemente.

28.11.04


cestinhas de banana Posted by Hello

Segunda sobremesa, último e mais polêmico dos pratos servidos. Trata-se de uma cestinha de massa filo com creme de banana coberto por ganache (uma mistura de chocolate com creme de leite). Ao lado, umas rodelinhas de banana caramelizadas e um fio de ganache. Até aí tudo ótimo. O problema é que o autor da receita decidiu por um toque final de "espuma de banana".

A tal espuma gerou um mini-motim na cozinha, mas então o autor e seus comparsas não deram ouvidos aos nossos clamores. De cara eu achei que parecia que tinham dado aquela cusparada na sobremesa. Sabe? Aquele cuspinho de criança, cheio de bolhinhas? E seu eu tinha pensado isso, então obviamente os meus irmãos pensariam o mesmo, no mínimo.

No fim quase todo mundo achou isso. Uma pena. Mas estava muito boa de gosto.


apple crumble Posted by Hello

Eu não tenho paciência pra sobremesas. Isso foi uma dolorosa constatação porque na modalidade de draga, eu as tenho como um dos auges de um jantar. Por isso deixei as sobremesas na mão de quem entendia. E os dois começaram por esse apple crumble com sorvete de especiarias (muito, muito bom).


medalhão Posted by Hello

Daí veio esse medalhão, que, teoricamente deveria estar ao ponto, mas ficou BEM ao ponto pra menos. É foda fazer isso em escala industrial. Daí ele tinha uma pastinha de gorgonzola e uva passa e era envolvido nessa folha de couve. Por cima, uma redução de fundo escuro (que na minha opinião não reduziu) montado na manteiga (que desandou, também na opinião de quem adoooora monter au beurre e foi dispensada disso e por isso guardou mágoas). Parte dessa receita foi uma grata sugestão do meu sous-chef, o Paulo.


ravioli de cogumelos Posted by Hello

O terceiro prato foi essa massa. Ninguém queria abri-la, com medo de fazer merda. No fim, conseguimos apoio superior. É um ravioli recheado com três tipos de cogumelo (shiitake, shimeji e paris), coberto com molho de vinho do porto e crocante de limão siciliano. Essa receita é o melhor exemplo frankenstein de colaborações dos membros do grupo, cada um com sua vivência e gosto.


salada embrulhada Posted by Hello

Em seguida veio essa salada, inspirada em um prato que fizemos numa aula de cozinha vietnamita. A salada é uma mistura de rúcula, lascas de manga, camarões e amendoim, temperados com molho tarê e enroladas em folhas de arroz. O legal dessa folha é que ela é transparente e dá pra ver todo o recheio. Por cima jogamos mais tarê. Que na minha opinião poderia ter ficado um pouco menos ralo...


ajo blanco Posted by Hello

Esse aqui foi o primeiro prato, feito por mim e minha dupla na véspera. O Ajo Blanco é o antepassado do amado e almodovaresco Gazpacho e era feito quando ainda não existia tomate e pimentão na Espanha. É uma sopa fria feita com miolo de pão, amêndoas (que bosta foi ter que pelar todas), alho, vinagre e horrores de azeite. Aí não dá pra ver direito, mas a gente adicionou uvas moscatel cortadas ao meio e umas lascas de amêndoas sobreviventes. Também fizemos umas espécie de "carpaccio" (emprego livre do termo) de ciabatta e ficou bonitinho. Tipo renda. Não recomendo para idiotas que pensam que sopa só deve ser comida quente.

Então aí vão as fotos do menu. Numa breve explicação: nós tínhamos como tema (assim, meio soltinho) apresentar pratos que estivessem envolvidos/escondidos/empacotados em algo. Tipo surpresinha. Na prática não deu pra aplicar o tão tema tão ao pé da letra, mas foda-se.

Antes que você dê uma de bicha-burra e reclame da "miguelança" dos pratos, saiba que a gente optou por um menu degustação. Vários pratos em quantidades pequenas. É, bisha. Ou você quer 6 pratos peão-de-obra? Haja banheiro depois pra tanta bulimia, non? Haha.

26.11.04

Inhaí. O jantar de ontem foi sucesso. Vou postar fotos agora que eu aprendi. Eu descobri que sou realmente muito apegada e ciumenta com "minhas comidas". Doeu ter que dividir o preparo e no final, depois te ter pensado e sonhado com tal massa, você acaba sendo responsável só por jogar a salsinha no prato.

Também notei como todo mundo quer ser 'o chef'. Até o neguinho da brigada designado somente para o lixo por ser um pentelho profissional. Todo mundo tem razão e etc. Por incrível que pareça - e depois de ser testada pelo destino com um metrô vagabundo que não saía do lugar e um trânsito infernal de táxi - eu estava até que pacífica. Educadinha e brincalhona. Eu achei que ia virar o Satã de avental, porque eu geralmente viro.

Então tá. Só mais uns dez dias de aula e c'est fini, na tioria. Socorro. Não aguento mais de cansaço. Meias Kendall. E estou AFÔNICA. Totalmente. Cada palavra é um arranhão na minha not-so-deep throat.

24.11.04

Para perdidos no espaço, como eu: London Underground - The Tube. Daí pra saber como fazer pra ir da puta que o pariu até a cochinchina, clique em journey planner e...

só 3,80 libras?

duvido. mas vou testar.

23.11.04

Vaca mergulha na piscina da vizinha e nada por 4 horas até o resgate

22.11.04

totalmente excelente diz:
o duro da vida de lan house é se deparar com california dreaming remix em plena tarde de segunda feira


que caraleo, hein?

21.11.04

E hoje é meu único dia de folga, mas eu vou trabalhar. Só precisava desse vomitinho prolífico em blog antes. Minha semana será tão demoníaca e gastronômica que nas últimas duas noites eu sonhei que dava banquetes e perguntava "e aí? a comida está boa?". Me-do, me-do do meu jantar de 6 pratos na quinta. Qualé o santo/orixá/entidade/deus dos cozinheiros mesmo?

Odiamos shopping center. Odiamos Natal. Odiamos a combinação dos dois.

Séculos para achar vagas. Não dirijo há meses, mas percebi que sou uma manobrista prendada. Vou tentar tirar um trocado com isso.

Então caçamos um vestido "de mocinha" para que eu me apresentasse "de acordo" com meu irmão-doutor em sua formatura. Acho que ando muito mão-de-vaca, porque não pagaria 500 reais num lindo vestido de bolinhas coloridas até o joelho (pq eu acho longo o *auge* da cafonalha), mas se querem me dar de presente, eu aceito. E aceito também aquele escarpin verde-água, por favor, porque meu lado travesti go-za com estas coisas.

A Iódice dá champa sabia? Então eu aguentei aquelas roupas medonhas só pra beber tranqüilamente. Meu lado bêbado estava tão guloso que meu lado proto-enófilo se esqueceu de avaliar as qualidades e o perlage. Haha. Quanta roupa medonha, deus meu. E o vendedor queria que eu levasse algo. Uma delas fez com que eu me sentisse uma cafetina vietnamita. Imagine. Só faltou o lequinho.

E por que diabos os espelhos de loja são tão escrotos? Numa delas, de luz fluorescente, eu parecia uma cardíaca com um corpo de mapa hidrográfico. Em outro, minha coxa era a casca de laranja mais deprimente do mundo (DMAE djá!). Na MNG - que é um clássico - a sensação é estar num parques de diversões com espelhos que esticam verticalmente.

E depois de várias entradas e saídas de estacionamentos e shoppings, depois de ter que presenciar várias crianças-choronas-por-falta-de-surra (nelas e nos pais) e adolescentes-com-cara-de-cu (alô, idiota! acha a sua vida uma bosta agora? pois ela fica pior ainda mais tarde!) você já perde a noção de onde parou seu carro. "hmmm... seria no piso China-D-4? Pêssego 9? G50587?". Estranho mesmo é ouvir Belle & Sebastian no estacionamento de algum desses shoppings aí. Asleep on a Sunbeam. Hein?

Ganhei minha tão almejada camiseta Enjoy Cock que tinha visto há mais de mil anos na Björk. Meu irmão ficou bem chocado. Perguntou se eu realmente iria vesti-la. E por que não? Bom, isso veio de um ser humano que acha vulgar carcinhas divertidas. Ele deve achar bom fio dental comestível. Yuck. Mas adentrar um puteiro da Augusta com tal camiseta não provocou reação alguma. Também.. duh. Vou fazer uma versão ipsis literis: Beba Rola. Quem sabe? Mas que diabos eu faria num puteiro de novo? Não. Fiquei com muito medo de uma puta com uma comissão de frente sufocante só de ver e dentes tão grandes quanto.

Testamos: Meias Kendall no Outs promovem alívio em pernas cansadas E achatam barrigas que porventura pareçam com bunda de azeitona.

E o que acontece quando você vira algum tipo de velha enclausurada? Quando você decide por o rabo na rua percebe que não conhece ninguém ou quase ninguém. Quem era aquela gente toda? Onde estavam os meus amigos? Quantos anos eu tenho mesmo? Por que gritar nos ouvidos dos outros numa pista de música histérica e semi-desconhecida não é mais algo divertido?

19.11.04

Raindrops on roses and whiskers on kittens
Bright copper kettles and warm woollen mittens
Brown paper packages tied up with string,
These are a few of my favorite things.


Uma amiga me disse que se auto-aplicava o truque da Fraulein Maria quando estava triste. Eu não estava necessariamente triste. Não estou. Estou só cansada, velha, neurótica e cheia de dívidas.

Daí eu tentei o truque da Fraulein, mas ele não é bom pra sono.

Eu emperrei bem nesta parte e não saía nem por decreto.

Cream coloured ponies and crisp apple noodles,
Door bells and sleigh bells and schnitzel with strudels,
Wild geese that fly with the moon on their wings,
These are a few of my favorite things.


Porque eu sabia que não era apple noodles. Era apple strudels. Apple noodles. Será que é bom? Schnitzel with strudels? Muito nojento.
Schnitzel with noodles.

E Fraulein Maria me deixou insone. A maldita. É claro que eu não consegui pensar nas minhas coisas favoritas porque fiquei ocupada demais tentando acertar as coisas favoritas daquela freira insana. Nem a chuva, que começou a cair lá pelas 5 e pouco da manhã me distraía. A chuva, que é uma das MINHAS coisas favoritas. Se pelo menos tivesse cortinas coloridas, passaria a noite costurando roupinhas felizes e mofadas. Mas não. Era só eu, Fraulein Maria, a letra insistentemente errada, minhas dívidas, meus trabalhos, meu jantar, meu cu.

E depois eu sonhei tentava cumprimentar um maneta.

15.11.04

Eu odeio gente que fala alho-porró.

12.11.04

Quem nasce em março tem que gostar de chuva. E eu amo. Só não amo em situações extremas de murphysmo, quando o mundo parece cair sobre a sua cabeça, seu guarda-chuva ameaça ter uma crise mary poppins e uma kombi vagabunda passa na poça do seu lado DE PROPÓSITO enquanto nenhum táxi passa.

Eu acho que se fosse homem, eu seria um homem MUITO FOLGADO (além de ser bicha, bicha, bicha).

Mas como sou mulher, não posso abusar da sorte, assim eu me refugio em ataques histéricos, bem típicos do meu gênero e anatomia.

Então, cheia de raiva, não persegui o motorista até o farol e taquei uma pedra no vidro ou chutei a porta como a minha imaginação ilustrava tão bem.

Eu só esmigalhei um guarda-chuva poppinesco no meio da rua, na frente de todo mundo, logo na primeira tentativa de alçar vôo da parte dele pós-banho de poça. Eu realmente não olhei pro lado pra saber as reações, mas foi muito bom mesmo. Primeiro eu soquei ele no chão com toda força. Repeti o processo mais umas 3 vezes. Quando ele estava já semi-consciente no chão, dei o golpe final: dois saltos com os dois pés, pra esmagar.

Larguei o cadáver na garagem de casa.

Minha mãe ficou intrigada em como o vento pode ter destruído o guarda-chuva de tal maneira. Nos calamos, claro (eu+demônios). Ela disse que não há a mínima chance de revivê-lo. Acho que vou usar capas agora.

***

Então, tchau tio Arafat. Tomara mesmo que não encontre aquele punhado de virgens aí do outro lado. Se uma cabaça já é demais para a paciência de qualquer santo homem, imagina o coletivo delas.

E na minha opinião, tio Yassie devia ser enterrado mesmo no Maine, mais precisamente no Pet Sematary. Sem ofensas aqui. Só falo pelo aspecto prático. Pena que não há cemitérios indígenas em Ramallah.

E na minha "opiniã" de quem não lê jornal há muito tempo (porque ninguém merece), francamente acho que chegou o momento de nossos amigos palestinos se posicionarem de quatro e deixar o KY na mão. Vão enrabar bonito. Eu acho. Pobres.

***

Perguntas cretinas, mas hoje (11/11) ouvi duas vezes a mesma coisa. Como é que as pessoas podem achar que eu esqueceria o pior dia da minha vida? Esquecer eu não esqueço, fazer o máximo para que ele passe rápido eu faço com prazer. E pelo menos hoje, nove anos depois, choveu como deveria ter chovido então. E eu dormi muito. Pra não ter que pensar.

11.11.04

Who's your favourite Scottish band of all time?

Essa é difícil.

5.11.04

(Em resposta a uma pergunta):
"Sr. Arafat não morreu. Obrigado".


Achei super árabe a tal observação final no boletim de saúde dele. Hahaha. É o fim do mundo, minha gente. Primeiro foi o John Peel. Bad omen. Daí os representantes dos habitantes de trailers dos EUA elegeram o Bush. E que apego eu tenho ao tio Arafat. Ele é i-gual-zi-nho à minha tia-avó. Só que bem mais magro. Um amor.

***

E hoje. Eu comi as mais variadas ovas. Inclusive uma de arenque, que tinha uma textura muito curiosa e uma sensação meio que de pipoca/pirulito-que-frita na boca. Se minha cabeça funcionasse como a de uma tia minha, eu provavelmente pensaria estar grávida de milhões de peixinhos neste momento.

2.11.04

Puta merda, a gente fica repetitivo, mas como é bom voltar pra "casa":

"Why does that obstinate little voice in our heads torment us so?" he said, looking around the table. "Could it be because it reminds us that we are alive, of our mortality, of our individual souls - which, after all, we are too afraid to surrender but yet make us feel more miserable than any other thing? But isn't it also pain that makes us feel aware of self? It is a terrible thing to learn as a child that one is a thing separate from all the world, that no one and no thing hurts along with one's burned tongues and skinned knees, that one's aches and pains are all one's own. Even more terrible, as we grow older, to learn that no person, no matter how beloved, can ever truly understand us. Our own selves make us most unhappy, and that's why we're so anxious to lose them, don't you think? Remember the Erinyes?"

"The Furies", said Bunny, his eyes dazzled and lost beneath a bang of hair.

"Exactly And how did they drive people mad? They turned up the volume of the inner monologue, magnified qualities already present to great excess, made people so much themselves they couldn't stand it."

Ah, é. Diz-que vai descer. Aguardo as cólicas. Obrigada.

Muito muito irritada. Listando vários ódios. Planejando maldades com data de validade quase vencida. Queria uma pistolinha de água pra fazer uma lavagem no ouvido e uma metralhadora de água pra apontar pros meus ódios do momento. E atirar freneticamente. Nos outros. E em quem resolveu que podia roubar uma hora do meu dia? Uma hora é muito pra quem mal dorme duas por noite. Perder uma hora não por fuso horário é uma merda.

Chegou novembro, o mês mais insuportável do ano.

Esse Fogo. Arraaaaasa. Ha.