8.5.05

Mondovino é super Mondocane também. Eu não esperava mais do que o tal cão que peida do Robert Parker, e fui surpreendida por Hoovers e Luther Kings.

No geral, achei muito longo. MUITO. Muito tremido também. Eu fiquei meio enjoada. O hype todo em volta do documentário leva um monte de gente ao cinema pensando Michael Moore. Mas é um MM bem específico. Daí, desse monte, só metade deve saber o que é um Opus One, os Mondavi, première cru e terroir etc. Deve ficar mais incompreensível ainda. E três vezes mais chato. Nós notamos pessoas saindo da sala.

E a legendagem é criminosa. É simplesmente transparente.

E eu esperava mais do Nordeste. A impressão que deu é que ao lado do vinhedo plantavam alguma maconha (grand cru!), porque os donos pareciam estar em outra dimensão.

O divertido do filme são as contradições e as gafes dos personagens. Meu momento favorito é o desabafo da família Etchart sobre a raça indígena. Eu não parava mais de rir. Foi puro deleite. Que imbecis.