27.7.05




É... Annix. I'll bear that in mind. Hahah.

Eu duvido, porque continuo a acreditar no direito que as pessoas têm de ir e vir em relação a seus sentimentos (qtas vezes forem necessárias por dia)... mas se houver um pingo de verdade no que me foi dito certa vez, por uma dona muito cheia de si, que eu faço parte do seleto time de bipolares, então permito-me traçar esta tiuria:

Em minha fase depressiva eu tendo a ser mais anglófila, me derramando em lágrimas sobre poesias (como a do Yeats abaixo) ou ainda provando não ser cínica o suficiente para ouvir I Know It's Over, dos Smiths, sem borrar meu rímel estencils à nível de colômbia.

Já na fase maníaca eu pareço ser extremamente francófila, ou quase, porque meu francês ainda é uma coisa pobrinha. Então, nesses momentos, eu acho que posso ler Proust no original, que canto igual à Brigitte Bardot, que o Serge é deus e que a França não é horrível só porque não é igual ao UK of A (triste isso, né? brasileiro você já sabe: nunca corra em Londres).

Agora, maníaca, eu escuto Michel Polnareff:

Love me, please love me
Je suis fouuuuuuuuuuuuuuuu de vouuuuuuuuus
Mais vous moquerez-vous toujours
De mon pauvre amour ?


*ai*

(abãfa)

25.7.05



(René + eu. Ouvindo Vive la Fête? ou era Bowie?)

É por isso que festas em casas de amigos são algo que eu ainda gosto de fazer.

23.7.05

Hah, tinha esquecido como era boa a trilha do Pédale Douce...

22.7.05

De volta à casa do pai Yeats. É um dos meus esconderijos prediletos:

He Wishes for the Cloths of Heaven

Had I the heavens' embroidered cloths,
Enwrought with golden and silver light,
The blue and the dim and the dark cloths
Of night and light and the half-light,
I would spread the cloths under your feet:
But I, being poor, have only my dreams;
I have spread my dreams under your feet;
Tread softly because you tread on my dreams.

20.7.05

The Corpse Bride is a story based on actual events that occurred in 19th century Russia, at a time when anti-semitism was widespread in eastern Europe. Very often bands of anti-semites would waylay a Jewish wedding party on their way to the wedding. And because the bride would be the one to bear future generations, she would be ripped out of the carriage and murdered.

She would then be buried in her wedding gown.


daqui.

Olha, A Fantástica Fábrica de Chocolate do Tim Burton está incrível. Eu achei que o Wonka do Johnny Depp é bem menos wanka que o do Gene Wilder, assim, menos perverso. Deve ser um efeito do cabelo bom que ele tem, perhaps. Haha. Mas ainda assim é muito engraçado, especialmente quando ele tem flashbacks.

O Charlie é aquele menininho lindo do Finding Neverland. Eu gostei mais, porque o Charlie original tinha um cabelo horrível, na minha opinião. E muita cara de cabaço. E a mãe dele não era a Helena Bonham Carter fina, mesmo desgraçadamente pobre.

Bom mesmo são os Oompaloompas. Acho que o cara é anão mesmo? Mas ele foi diminuído e multiplicado. É insano. INSANO. Só fiquei meio enjoada porque achei o pobrecito parecido demais com aquele indiano seboso que obriga nossa amiga Audrey Tautou a uma perfomance forçada de fellatio no Dirty Pretty Things.

Não foi legal pensar em Oompaloompas e boquetes.

Observação final, se o primeiro filme era bom de ver com a rabiola forrada de ervas, acredito que o segundo deve funcionar HORRORES com ácido.

(E fora isso, hein... vou aguardar pacientemente a vinda de A Noiva Cadáver, o próximo do Tim Burton, em stop-motion e com toda aquela atmosfera gótica-vitoriana que eu simplesmente a-m-o).

18.7.05

E diz que passou Top of the Pops no canal 21 hoje. Mas eu perdi a Nancy Sinatra.

momento "minha vida mudou ao saber disto":

Marcos Mion e Suzana Gullo deram um presente especial para o filho recém-nascido Romeo. O casal armazenou as células-tronco do sangue cordão umbilical do bebê na CordVida, em São Paulo.

Marcos Mion, que assistiu ao parto e cortou o cordão umbilical, sabe o material precioso que existe dentro dele. As células-tronco já têm comprovado sucesso no tratamento de alguns tipos de câncer, deficiências imunológicas e doenças genéticas e promete ser o caminho da descoberta para tratamento de diabetes, cardiopatias, doenças neurológicas e outras. A terapia celular representa uma das grandes promessas da ciência.

14.7.05

11.7.05

MOBY CONFIRMA TURNÊ NO BRASIL EM SETEMBRO

Um dos mais importantes nomes da cena eletrônica mundial, o norte-americano Moby incluiu o Brasil na sua turnê sul-americana. Moby desembarca no país em setembro para quatro apresentações: São Paulo, em 16 de setembro, no Espaço das Américas, na Barra Funda, para público estimado em 10 mil pessoas; Rio de Janeiro, em 17/9, no Riocentro (18 mil pessoas); Porto Alegre, em 19/9, no Espaço Condor (15 mil); e Belo Horizonte, em 21/9, no Marista Hall (6.000).

Esta é a primeira vez que Moby apresenta um show completo no Brasil. Ele virá acompanhado por uma equipe de mais de 20 pessoas, entre músicos e técnicos. A turnê será promovida pela produtora Planmusic, do empresário Luiz Oscar Niemeyer. Ainda este mês, Moby cumpre agenda de shows na Austrália e Japão.

Moby virá ao país apresentar o show de seu mais recente álbum, “Hotel”, lançado este ano e que já vendeu mais de um milhão de cópias no mundo inteiro, ganhando disco de platina na França, Itália e Bélgica e ouro na Inglaterra, Alemanha, Suíça, Áustria, Portugal e Grécia. Moby conquistou um sucesso fenomenal com o lançamento de “Play”, em 1999, quando ultrapassou as 10 milhões de unidades. “Hotel” é o primeiro álbum de Moby desde “18”, lançado em 2002 e que vendeu mais de quatro milhões no mundo inteiro, sedimentando o nome do artista na cena pop contemporânea.

10.7.05

Busted, hahaha.

*Salman explica*

Então o Salman Rushdie era meu terapeuta. O consultório era meio escuro, mas sem divãs. Eu estava sentada em um sofá, me irritando com toda a empáfia dele. O Salman tinha as perninhas cruzadas, a mão assim no queixo e girava a cadeira enquanto olhava para mim. No outro sofá um idiota que também fazia a terapia.

Daí Salman dispara: "Duvido que você traia o seu namorado."

Eu, irritadíssima: "Pois eu vou traí-lo agora mesmo, com esse cara aqui".

(o cara em questão era um horrível com roupa de moletom e uma cara de playboy com síndrome de Down, mas servia para os meus propósitos).

Entra a Byana e começa a ligar toda a aparelhagem. Ela disse que queria gravar tudo. Registrar e usar em algumas músicas (hmm, ok).

Eu disse pro idiota nem tentar me beijar na boca e que eu precisava de uma camisinha anti-alérgica, porque não merecia ficar em carne viva depois. Fina. E nojo, nojo, nojo. Mas eu tinha que seguir em frente. Culpa católica em forma de tsunami. Eu segurava as minhas lágrimas. Parecia um estupro consentido. Até que... o cara broxou. E eu fui a mais feliz porque provei pro Salman Rushdie que podia trair meu namorado, sim.

(os detalhes técnicos não eram culpa minha. amém!)

este pesadelo foi patrocinado por gin tônica.

8.7.05

Book Crossing, uma bela idéia, mas:

1) sou muito apegada aos meus livros.

2) isso funcionaria por aqui? será?

7.7.05

E óbvio, George W. Bush, o presidente e capiau fruto de inbreeding E anticristo full-time, já deu seu comentário de 'world police': vão espalhar uma 'ideologia de compaixão e esperança' contra a 'ideologia de ódio' da Al Qaeda.

Ai, caralho. Panic on the streets of London.

6.7.05

Sensacional o comentário do Chirac. Mas eu dei mais risada com isso aqui.

E eu não devia ser jornalista, mas sim médium full-time. É impressionante como eu psicografo. Agora que aceitei minha condição de Chico Xavier do jornaleirismo, vou comprar um par de óculos fumê, uma peruquinha xumbrega e treinar pra digitar com uma mãozinha sobre os olhos.

E por falar em gongo de grandes ícones religiosos, é muito estranho levar um pito de seu patrão porque você diz se atéia. Juro mesmo. Deu pra ver a tristeza nos olhos do homem, um cara que defende as missas rezadas em latim. Por isso achei melhor não soltar meus discursinho odeio-mitologia-hebraica/deus-desértico-é-um-porre. Aliás, mitologia! Ainda bem que ele não ouviu quando eu disse que tudo pra mim é mitologia.

4.7.05

Beautiful Agony é ótimo, haha. Parece um supermercado de orgasmos. Eu só vi o sample, mas achei incrível. Uma vez membro, deve dar pra escolher quem você quer ver. E imagino que aí no meio deve ter aqueles tipos de orgasmos horríveis. Cada um sabe qual é o seu menos favorito, não é mesmo? Eu sei qual é o que eu menos gosto e - yuk - não quero nem pensar porque já broxo.

Depois, é um tipo diferente de voyeurismo. Porque ao mesmo tempo que parece que você espia, a espiada é por cima, logo, punheteiros de plantão podem facilmente se imaginar sobre a 'vítima', etc.

E na segunda página tem uma santa gozando sobre a bandeira do Brasil. haha.

E aqui as explicações do criador do site.

1.7.05

Hoje à noite vou rezar pra Nossassenhoradosqueacordamcomasgalinhas. Eu adoro uma sarna pra me coçar.

The Rotter's Club ganhou o segundo lugar no quesito "livros que devorei mais rápido". Levou 4 dias, um tempo até que expressivo. Só perdeu para O Estrangeiro, lido em português mesmo, em 3 dias que pareciam um só. Uma coisa assim magnética. Rrrrrecomendo.